Logo do Seminário. Sobre quadrado branco, no topo, em letras cinzas: ``2º Seminário`` e, em letras vermelhas:``Museu e Educação``. Abaixo, um globo terrestre de ponta cabeça, em branco e cinza, com a inscrição em letras pretas: ``educação museal e decolonialidade``, contornando pelo lado direito. No canto inferior direito, em letras vermelhas: ``21-23 setembro 2020. Rio de Janeiro``. Por cima da imagem, tarja com a inscrição ``adiado para 2021``.

Após ter sido adiado no ano passado, devido à pandemia em curso, o 2º Seminário Museu e Educação está programado para acontecer nos dias 24 e 25 de novembro de 2021 em formato virtual.

A temática será “Educação Museal e decolonialidade”, selecionada a partir dos temas observados nas inscrições do primeiro seminário em 2018, bem como de recentes produções científicas do campo da educação museal. Articularemos a produção acadêmica que envolve a educação museal e temas desse universo à produção realizada nos museus, pontos de memória e patrimônio, orientados pela Política Nacional de Educação Museal (PNEM).

O evento conta com conferências, mesa-redonda, grupos de trabalho com comunicações orais e oficinas. Os grupos de trabalho organizam-se entre (1) produção acadêmica, (2) produção museal e (3) propostas práticas, de acordo com a seguinte estrutura:

GT1 – Comunicações orais: Estudos e pesquisas acadêmicas em torno da educação museal e decolonialidade
GT2 – Comunicações orais: Prática educativa, atuação política e reflexão teórica decoloniais em museus
GT3 – Oficinas temáticas: ações educativas decoloniais: realização, planejamento ou avaliação (inscrições encerradas)*

* Devido à adaptação do seminário ao formato virtual, o GT 3, que previa a realização de práticas educativas, terá as propostas inscritas integradas aos grupos anteriores e não serão abertas novas inscrições.

Tema
“Educação museal e decolonialidade” representa um dos principais desafios enfrentados pelos museus na contemporaneidade: rever discursos e processos de aquisição, pesquisa, comunicação e educação, incluindo públicos diversos em suas narrativas e representação de objetos, atraindo-os e incorporando-os na realização da função social das instituições.

Nesse sentido, pensar ações educativas decoloniais em museus permite estar aberto e ser lugar de voz e extroversão de públicos ausentes, marginalizados e pouco representados na história dos museus e da museologia. Possibilita-se que esses públicos sejam protagonistas no debate promovido pelo seminário.

O tema permite, também, promover uma aproximação entre a academia e o museu, estreitando laços e promovendo ao mesmo tempo a extensão e integralização de estudos e pesquisas.

Tornar o museu mais democrático e democratizador da sociedade é, assim, o objetivo em torno do tema do seminário. “Educação museal e decolonialidade” nos obriga a pensar na representatividade de públicos e de parcelas da sociedade comumente marginalizados tanto no que diz respeito à frequência a museus quanto à diversidade cultural de seus acervos.

Público-alvo
Profissionais de museus; educadores de instituições culturais; professores, pesquisadores, estudantes das áreas da museologia, pedagogia, ciências, artes, história, arqueologia, biblioteconomia, arquivologia, comunicação, patrimônio e demais áreas afins.

Chamada para artigos
Edital (formato .pdf).

Envio de resumo expandido e indicação do GT
De 25 de junho a 15 de setembro de 2021.
Envie seu resumo.

Resultado final
5 de outubro de 2021.

Envio de artigos finais para selecionados
Até 5 de dezembro de 2021.

Participação como ouvinte
Inscrições de 15 de setembro a 15 de outubro de 2021.
Inscreva-se!

Programação (em breve)
Dia 24 de novembro de 2021: das 15h às 17h30.
Dia 25 de novembro de 2021: das 9h30 às 1730.
Onde: Canal do MHN no YouTube.

2º Seminário Museu e Educação: educação museal e decolonialidade