Desembarque-de-Cabral.jpg

MHN tem três pesquisas de iniciação científica aprovadas junto ao CNPq

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), selecionou 10 projetos de pesquisadores do Ibram para o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic). De quatro propostas enviadas pelo Museu Histórico Nacional (MHN), três delas foram aprovados na seleção.

O projeto “Escritas da História no Museu Histórico Nacional: o (não) lugar de negras e negras nos Anais do MHN (1940-1975)” é orientado por Aline Montenegro, do Núcleo de Pesquisa do MHN, e tem como bolsista Fabiana Vidal, estudante da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio).

A pintura histórica "Desembarque de Cabral em Porto Seguro" (Oscar Pereira da Silva, 1904) , no acervo MHN, é uma das obras da pesquisa sobre a presença indígena nas coleções

No acervo MHN: a pintura histórica “Desembarque de Cabral em Porto Seguro” (Oscar Pereira da Silva, 1904), é uma das obras da pesquisa sobre a representação indígena nas coleções do museu

O objetivo do projeto é analisar a representatividade de negras e negros nos 26 primeiros Anais do MHN. “Como os anais têm sido o principal veículo de divulgação das atividades do museu desde a década de 1940, achamos fundamental analisá-los para identificar como a questão era abordada”, destaca a orientadora.

Para ela, o que move o trabalho em um museu é a constante “formulação de novas perguntas”. “Os pesquisadores não têm que sair com respostas prontas”, acredita.

Coleções e representações
Já o projeto “O antiquário Francisco Marques dos Santos e sua contribuição aos museus nacionais” é orientado por Isabel Lenzi, do Arquivo Histórico do MHN, e tem Ana Clara Lobo, da Universidade Federal Fluminense (UFF) como bolsista. A pesquisa vai se debruçar sobre a produção historiográfica ligada à cultura antiquária e o conhecimento sobre os museus e seus acervos que, frequentemente, são oriundos de colecionadores e antiquários.

Alvaro Marins, também do Núcleo de Pesquisa MHN, orienta o trabalho “Representações do índio na exposição de longa duração do Museu Histórico Nacional”. A pesquisa tem três eixos fundamentais: a história do Brasil e o lugar que os índios ocupam nela; o olhar das artes plásticas e da literatura sobre os índios brasileiros; e a exposição de longa duração do MHN. O projeto tem como bolsista Luiza Fritsch, também da UFF.

A seleção foi feita por Comisão Externa PIBIC/CNPq-Ibram e os resultados devem ser apresentados em agosto de 2019. Confira a lista dos projetos aprovados para o ano 2018-2019.

Texto: Ascom/MHN

Imagem: MHN/Divulgação

MHN tem três pesquisas de iniciação científica aprovadas junto ao CNPq

Related Posts