Ziraldo_Logo_ExpoMHN.png

Exposição “Terra à vista e Pé na lua” homenageia o multiartista Ziraldo

De 20 de novembro de 2021 a 20 de fevereiro de 2022, a exposição “Terra à vista e Pé na lua” abre as comemorações dos 100 anos do MHN no próximo ano e tem como foco a aventura humana rumo ao desconhecido – pelo olhar visionário e atemporal de Ziraldo. 

Artista cuja produção se faz presente no imaginário de brasileiros e brasileiras de todas as idades, a exposição, que também homenageia os 90 anos de Ziraldo em 2022, leva o visitante a livros, personagens, ideias, e mesmo objetos de trabalho, que marcam a trajetória de Ziraldo.

"Terra à vista e Pé na lua" homenageia a trajetória do multiartista Ziraldo

“Terra à vista e Pé na lua” homenageia a trajetória do multiartista Ziraldo

Das navegações marítimas até as conquistas espaciais, o trabalho do artista se une conceitualmente às coleções do Museu Histórico Nacional via códigos QR espalhados ao longo da cenografia.

A curadoria e direção de arte são de Adriana Lins e Guto Lins, que contaram com o apoio e a participação do Instituto Ziraldo. A cenografia é assinada por Susana Lacevitz e Philppe Midani.

A exposição faz parte do Plano Anual 2021 do museu, que tem o apoio da Associação dos Amigos do MHN e patrocínio do Instituto Cultural Vale – por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Segundo Vania Bonelli, diretora Interina do Museu Histórico Nacional, para dar início às comemorações do centenário do MHN em 2022, “a fantástica criatividade” de Ziraldo e seus super-heróis é uma “verdadeira odisseia”.

“Ao retornarmos à alegria, convidamos as mais diversas gerações para navegarem no tempo e no espaço, reafirmando a frase do Menino Maluquinho: ‘que maluquinho que nada! Eu sou danado de feliz!'”, conclui.

“Ao unir as criações de Ziraldo ao acervo do MHN, a mostra convida públicos de todas as idades a reler o passado e recriar o presente de forma lúdica, contando histórias de vários Brasis”, aponta Christiana Saldanha, gerente do Instituto Cultural Vale. “Para nós do instituto, faz muito sentido estar ao lado de iniciativas como essa, que abrem oportunidades de aprender, se inspirar e criar em contato a história e com a arte”, diz.

A exposição
Pátios e galerias de exposições temporárias do térreo do MHN servem de espaço para as criações de Ziraldo. No pátio Minerva, painéis, alguns medindo até dois metros, reproduzem histórias e personagens de Ziraldo, como o Menino Maluquinho e Zeróis. No pátio dos Canhões, transformado em “praça da Amizade”, os canhões ‘atiram’ flores e é ‘habitado’ por personagens de Ziraldo em escala humana.

Nas três salas que a exposição temporária ocupa, o visitante vai conhecendo um pouco da história do artista -como a sua chegada ao Rio, o início da carreira, o trabalho na imprensa e o reconhecimento nacional – enquanto mergulha no universo de Ziraldo e de suas criações em diferentes suportes, como quadrinhos, tirinhas, cartazes e livros.

Ziraldo e Adriana Lins - uma das curadoras da exposição

Ziraldo e Adriana Lins – uma das curadoras da exposição

Na  vasta galeria criativa do artista, alguns rostos e traços são muito conhecidos, outros nem tanto, mas estão todos lá: super-heróis, onomatopeias e o próprio Ziraldo em uma caricatura em tamanho real.

Alguns itens pessoais, como a antiga máquina de escrever, a clássica cadeira de bar,  além de edições originais de algumas obras, são marcas históricas de uma carreira iniciada ainda nos anos 1950 e que o público poderá conhecer de perto. Assista o vídeo de apresentação.

Ações educativas
Durante todos os sábados em que a exposição estiver em cartaz (exceto nos dias 24 e 31 de dezembro), monitores realizam com crianças visitantes uma atividade lúdico-educativa a partir de um caderno de atividades desenvolvido especialmente para a exposição – que pode ser impresso em casa.

Durante os dias úteis, a atividade é voltada apenas para escolas agendadas nos formatos presencial e virtual. Confira o protocolo para a visita de grupos.

O "Menino maluquinho": personagem-síntese da relação de Ziraldo com o universo infantil

“O Menino maluquinho”: personagem-síntese da relação de Ziraldo com o universo infantil

No dia 30 de novembro, acontece a atividade on-line “O alfabeto começa com Z”, voltada para professores da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. Confira a ‘live’ e o material de apoio.

O artista de todos
Ziraldo Alves Pinto nasceu em Caratinga (MG) em 1932. Com reconhecimento nacional e internacional, tem atuado profissionalmente nos contextos social, político, ambiental e educacional em mídias jornalísticas, literárias e de entretenimento.

Ícone cultural do Brasil, seu acervo tornou-se referência para a identidade e memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira. Pioneiro no design, revolucionário na literatura infanto-juvenil, ativamente engajado em temas sociais e políticos.

Um intuitivo e criativo crítico de costumes, Ziraldo atinge contextos universais e atemporais. Seus livros, combinando texto e imagem na estética que acabou por definir sua marca, trazem, desde sempre, a ecologia como prática de sobrevivência e solidariedade.

A exposição pode ser visitada, a partir de 20 de novembro de 2021, de quinta a sábado, das 10h às 16h. A entrada é franca e não há necessidade de retirada antecipada de ingressos. Para ter acesso às dependências do museu, o uso de máscara é obrigatório, assim como a apresentação do comprovante de vacinação contra a covid-19, de acordo com Decreto da prefeitura do Rio. Saiba mais.

Texto: BriefCom Assessoria
Edição:Ascom/MHN (última atualização: 8.12.2021)
Imagens: Divulgação/Instituto Ziraldo

Exposição “Terra à vista e Pé na lua” homenageia o multiartista Ziraldo

Related Posts